Semente Cristal - Medicina Integral e Terapias Naturais

Horário: : Segunda à Sábado - 8:00 às 19:00h
  Contato : Gravatal (48)3648-2087 - (48)98415-1710

Notícias

desejo

É possível um casal manter sempre o desejo sexual e com criatividade?

por Arlete Gavranic
O que pode ser feito para o desejo sexual ser frequente?

“Para ter desejo sexual, é necessário pensar em sexo, vencer a preguiça de começar, investir nas preliminares e ter prazer em dar prazer ao outro” Nos consultórios de médicos e psicólogos é frequente o recebimento de queixas com relação ao desejo sexual e a busca de solução para essa dificuldade ou idealização.

Idealização?

Sim, é importante tomarmos consciência de que não existe uma frequência ideal para se ter vontade de fazer sexo. O importante é perceber se o casal está satisfeito com sua frequência sexual, e procurar valorizar mais a qualidade da transa do que o número de vezes que ela acontece – ou que ela deixa de acontecer.

Mas qual é o mecanismo desse desejo?

Esse desejo pode vir associado a sensações corporais com variação de intensidade, onde a pessoa percebe que tem vontade de sexo. Mas na maioria das vezes não adianta ficar esperando que o desejo apareça.

Para ter tesão é preciso começar e vencer a preguiça

Estudos mostram que para muitos homens e mulheres o desejo sexual pode muitas vezes ser estimulado junto da excitabilidade. Ou seja, para o desejo aparecer mais intensamente é necessário um investimento nas carícias preliminares: beijos, carícias, mesmo  sem ter muita vontade de começar. Ou seja, é preciso deixar a preguiça de lado e começar a namorar, aí sim, essa libido (tesão) começará a acontecer.

Elas querem namorar

O que costuma motivar a mulher para o desejo sexual em relacionamentos estáveis, (que em geral são os que buscam mais a resposta de como melhorar), é a busca de intimidade emocional e seu desejo de maior proximidade de contato corporal, já citados aqui. Sem contar as declarações de tesão e de afeto em clima de namoro.

Eles querem transar

Já o desejo sexual masculino tem sua motivação numa maior valorização para os estímulos visuais e fantasias.

Para um equilíbrio maior é preciso que os casais invistam no prazer de estarem juntos e estimulem-se com pensamentos em fantasias sexuais.

A variação na frequência de desejo pode ser uma questão física? 

Motivos orgânicos como alterações hormonais, drogas, cansaço físico e mental e uma doença sexualmente transmissível podem provocar variações no desejo.

Quando as mulheres têm um desejo sexual mais intenso?

As mulheres costumam ter um desejo sexual mais intenso na primeira quinzena do ciclo menstrual. Esse é o período em que nosso corpo se prepara para ovular e a natureza biológica nos ajuda a ter um desejo maior de sexo; foi assim que a espécie humana se proliferou durante milhões de anos.

É verdade que hoje a maioria das pessoas faz sexo desejando não engravidar, mas esse período costuma ser do ponto de vista hormonal, um período de intenso desejo para a maioria das mulheres.

Mas observamos que as dificuldades associadas ao desejo sexual, são, na maior parte das vezes, de ordem psicológica e social. Podemos pensar em muitos fatores ou motivos desmotivadores para o sexo:

1º) Relacionamentos instáveis ou de frágil vínculo de confiança;

2º) Conflitos emocionais: como a culpa frente a possível vivência sexual;

3º) O estresse, a ansiedade, a insegurança quanto ao desempenho sexual, entre outros.

A baixa autoestima também pode provocar variações no desejo.

Por consequência de atitudes familiares repressoras, algumas pessoas controlam demais o desejo sexual. Isso é verdadeiro, mas fora as variações hormonais, a baixa autoestima e autoconfiança faz com que as pessoas alimentem idéias negativas a cerca de si mesmas – “estou feia demais”, “não vou conseguir ereção”, “ele não vai ficar comigo”, etc. Isso faz com que muitas pessoas se esquivem e não invistam em situações e sensações eróticas.

Isso mesmo, é importante investir na relação, deixar a preguiça de começar de lado e criar situações com potencial erótico.

Além desses fatores, é importante o comportamento do parceiro como fator desencadeante do desejo, desde comportamentos como higiene pessoal, como comportamentos de atenção, olhar nos olhos de sua parceira, ser gentil, entre outros.

Algumas pessoas iniciam relacionamentos, sentem desejo mas, quando aumenta a proximidade e o compromisso com o parceiro, há uma evidente perda no interesse sexual. Muitas vezes por medo de viver perdas, ou até de não se sentir preparada para viver uma relação de intimidade.

Mas… é possível um casal alimentar com criatividade e indefinidamente um desejo sexual com contínuas descobertas?

A atração e o desejo sexual podem ser mantidos em uma atividade sexual em que os parceiros consigam ter prazer dando prazer, cada um aprendendo a sentir satisfação com a satisfação do outro, assim, o desejo de um potencializa o desejo do outro.

Dicas para manter o desejo sexual

1ª. Descubra e pratique uma atividade física que lhe dê prazer, (pode ser uma simples caminhada diária), pois além de ajudar a aliviar o estresse e a tensão, ajuda na liberação de endorfina, regula a serotonina e auxilia na manutenção do desejo sexual;

. Se acontecer algo que não gostou ou magoou conversem e achem uma saída para não carregarem ‘lixos emocionais’;

3ª. Aprendam juntos a descobrir e aproveitar as sensações prazerosas de seus corpos;

. Aprenda a valorizar sua sensualidade;

5ª. Para que sinta vontade de fazer sexo é preciso pensar em sexo, isso ajuda a estimular as fantasias sexuais e melhoram o desejo sexual;

6ª. Reserve um tempo para vocês namorarem, uma, duas, três vezes por semana, ou todo dia se vocês quiserem. Não deixem para quando sobrar tempo. Vale qualquer estímulo ao desejo, só não vale falar de problemas;

. Alimente diariamente seu desejo e permita-se experimentar e saborear uma das mais prazerosas experiências da vida, desejar sexo, amor, carinho.

Leia mais

Medicina Integral

A partir de um olhar sistêmico, o objetivo não é mais o tratamento de um órgão específico, mas sim a compreensão do biológico, do mental, do social, do familiar e do espiritual, além de oferecer ao paciente uma oportunidade de refletir sobre sua prática diária, perceber quais são as necessidades do corpo e da mente, melhorar o estilo de vida, buscar hábitos saudáveis.

A doença não é vista como uma entidade em si, consideramos o processo como um todo, observando com atenção todos os fatores que podem ter influencia no processo de adoecimento, como a qualidade de vida, os hábitos, o sono, os ciclos, a profissão, a alimentação, a postura, relações familiares.

Cuidado não apenas como atividade realizada no sentido de tratar uma dor ou auxiliar na cura de uma doença, mas no sentido de auxiliar o outro a desenvolver suas potencialidades, conectar com o que tem de melhor dentro de si, voltar a vibrar e recuperar sua saúde em todas as dimensões.

Tratamos de pessoas doentes, de pessoas com os mais diversos níveis de desconforto ou sofrimento, de pessoas com dores agudas ou crônicas, físicas ou emocionais, e até de quem simplesmente deseja manter o livre fluxo da vida fluindo adequadamente.

Leia mais

Refluxo Gastro-esofágico

Medidas para controle de Refluxo Gastro-esofágico:

  • Não passe grandes períodos sem se alimentar. Coma algo leve a cada duas ou três horas.
  • Mastigar bem os alimentos, comer devagar e em local tranquilo.
  • Nas principais refeições (almoço e jantar) evite tomar líquidos e não coma demasiadamente.
  •  Evite alimentos gordurosos, café, chocolate, molho de tomate, pimenta, chá preto, mate, hortelã, anis e menta, refrigerantes a base de cola e guaraná, bebidas gasosas e álcool (principalmente à noite).
  • Tente não pigarrear mesmo que sinta necessidade de fazê-lo.
  • Não deite logo após comer e tão pouco ataque a geladeira à noite. Dê um intervalo mínimo de duas horas entre a última refeição e o sono (se for possível, faça uma caminhada de meia hora).
  • Eleve a cabeceira da cama gradativamente até chegar a aproximadamente 15 centímetros de altura.
  • Evitar roupas e cintos apertados.
Leia mais

Acupuntura em Pediatria

Não importa se ela é aplicada com agulhas, sementes, esferas metálicas ou laser: a Acupuntura Médica traz benefícios para o seu filho desde o nascimento, como melhora no sono e diminuição de problemas respiratórios e gástricos.

Na Semente Cristal o tratamento com Acupuntura para crianças é realizado mediante avaliação médica cuidadosa e habilitada. Leia abaixo a reportagem de Gislene Pereira para a Revista Crescer da Editora Globo para saber mais.

images (1)

Acupuntura para crianças e bebês

Você já pensou em tratar o seu filho com acupuntura? “A acupuntura é reconhecida no Brasil como uma especialidade médica, aplicada com sucesso em áreas como pediatria, ortopedia e ginecologia”, esclarece a médica pediatra Márcia Yamamura, responsável pelo Ambulatório de Acupuntura e Pediatria e Adolescência da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Para a medicina tradicional chinesa, a má distribuição da energia vital é a responsável pelas enfermidades do corpo, desde o nosso nascimento. Ao estimular determinados pontos de acupuntura, o organismo conseguiria restabelecer seu equilíbrio, combatendo esses males. Entretanto, o médico pediatra Lo Sz Hsien, do Colégio Médico de Acupuntura de São Paulo, conta que o método ainda encontra resistência no Ocidente, entre os pais de crianças: muitos deixam de adotá-lo por temerem que as agulhas machuquem seus filhos.

Os benefícios da acupuntura vêm sendo amplamente estudados nos últimos anos: por ressonância magnética, é possível notar que o cérebro é ativado em diferentes áreas, conforme os pontos de acupuntura são acionados, segundo explicam os especialistas ouvidos pela CRESCER.  “Ao receber o estímulo, o cérebro promove a liberação de substâncias como serotonina, dopamina e noradrenalina que, por sua vez, vão atuar nos sistemas endocrinológico e imunológico – e eles,  finalmente, vão agir nos demais órgãos do corpo, favorecendo-os”, ensina Hsien.

020170118221111

QUANDO A ACUPUNTURA É RECOMENDADA?

A acupuntura praticamente não apresenta contraindicações. A única ressalva são crianças com problemas de  coagulação, que não devem se submeter à versão com agulhas, a fim de evitar sangramentos. O método é recomendado tanto para tratar ocorrências comuns nos primeiros anos de vida – entre elas, alterações no sono e no intestino, perda de apetite, agitação e irritação – quanto para simplesmente equilibrar a imunidade, prevenindo alergias, gripes e outros problemas respiratórios.

 

NA PRÁTICA

O trabalho do médico acupunturista no atendimento à criança segue o protocolo de qualquer consulta médica (com análise do peso, crescimento e avaliação de eventuais exames). Além disso, o profissional analisa duas regiões capazes de revelar o estado de saúde, com base no critério  oriental: a língua e a pulsação. “Características como cor, textura, formato e presença de saburra na língua (aquela crosta branca), além de intensidade e frequência dos batimentos cardíacos, fornecem informações sobre os sistemas internos, indicando se há uma disfunção. A partir daí, definimos se a acupuntura é o tratamento adequado ou se devemos recorrer a outra abordagem, como a medicação”, diz Hsien.

 

POR DENTRO DA SESSÃO

Quem quiser utilizar a Acupuntura Médica para tratar seu filho deve primeiro escolher um profissional de confiança. Juntos, vocês irão definir a melhor abordagem de tratamento: com agulhas (são finas, bem menores do que as usadas em adultos, e posicionadas superficialmente na pele), sementes pequenas como a de mostarda, esferas metálicas, laser, ventosas ou pressão manual. Os especialistas foram unânimes em afirmar que os resultados promovidos pelas agulhas são mais rápidos e eficientes. No entanto, as demais alternativas são válidas, caso seu filho tenha muita aflição das picadas ou arranque o esparadrapo com as sementes (que permanecem fixadas após a sessão), por exemplo.

A alternativa, capaz de trazer mais qualidade de vida e saúde, tem ainda um ponto que conta bastante a seu favor: não tem efeitos colaterais.

auricular_01

AJUDA EMOCIONAL

Entre 2 e 4 anos, as crianças começam a compreender mudanças importantes na rotina delas, como a entrada na escola, uma eventual separação dos pais ou morte na família. Essas situações podem despertar sentimentos como tristeza, medo e raiva, que não devem ser ignorados. “Acreditamos que fatores emocionais estão ligados ao desequilíbrio dos órgãos e o consequente aparecimento de doenças”, diz o médico Lo Sz Hsien. Nesse caso, a acupuntura é indicada para modular a imunidade da criança (diminui as chances de adoecer), combater a ansiedade e trazer bem-estar. Se ela tiver medo de agulhas, busque alternativas. “Além das sementes e do laser, crianças nessa faixa etária podem ser submetidas a sessões com ventosas magnéticas (ímãs)”, sugere o especialista. O tratamento é indolor.

 

ALÍVIO PARA AS FUTURAS MÃES

Para amenizar sintomas comuns à gravidez – como azia, vômitos e dores –, a gestante também pode receber tratamento com a acupuntura. “A técnica está liberada nos nove meses da gestação, para atenuar inchaço, insônia, enjoo, dores lombares e ansiedade”, afirma o pediatra Lo Sz Hsien. E as vantagens vão além: um estudo divulgado no Encontro Anual da Sociedade de Medicina Materno- Fetal, em Chicago (EUA), mostrou que, para diminuir sintomas de depressão, a acupuntura é mais eficaz do que tratamentos específicos para a doença ou massagens. No trabalho feito com 150 gestantes diagnosticadas com o transtorno, o método chinês alcançou o maior índice de melhora. Antes de adotar a técnica, deve-se ficar atenta a importantes recomendações. “É preciso escolher um profissional capacitado, pois existem pontos de acupuntura que têm de ser evitados durante a gestação para não antecipar o parto ou provocar a perda do bebê”, alerta a pediatra Márcia Yamamura.

images

Fonte: http://revistacrescer.globo.com/Bebes/Saude/noticia/2016/02/acupuntura-para-criancas-bebes-e-gravidas.html

Leia mais

Acupuntura na gestação

Na Semente Cristal o atendimento humanizado durante o pré-natal é uma prioridade. Cuidar com carinho, atenção e profissionalismo do núcleo formado pela gestante, seu bebê e pelo pai, neste que é um dos períodos mais importantes na vida familiar, é para nós uma grande missão! A realização de acupuntura é possível e indicada para uma série de situações clínicas vivenciadas durante o pré-natal. Saiba mais lendo a reportagem abaixo, de Bárbara Therrie para o portal Uol.

 

Acupuntura na gestação diminui dor nas costas, inchaço e ansiedade

As grávidas podem encontrar na acupuntura uma grande aliada para aliviar desconfortos clássicos da gravidez como enjoos, vômitos, dor nas costas, inchaço e ansiedade.

“A inserção de agulhas em pontos específicos do corpo visa buscar o equilíbrio físico e emocional da mulher na gestação”, explica Telma Zakka, médica acupunturista, ginecologista e coordenadora do Cômite de Dor Urogenital da Sociedade Brasileira para Estudos da Dor.

mulher-gravida-gravidez-parto-maternidade-saude-1349966321522_300x300

Confira a seguir os benefícios da acupuntura na gestação:

REDUZ ENJOOS E VÔMITOS

Causados pelo desequilíbrio do hormônio progesterona, os enjoos e vômitos costumam aparecer nos três primeiros meses de gravidez e podem ser controlados com a aplicação de agulhas na região do antebraço, de acordo com João Bosco da Silva, acupunturista e professor adjunto da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto.

ALIVIA A DOR NAS COSTAS

A dor nas costas atinge 88% das mulheres devido à sobrecarga da musculatura lombar, que precisa fazer um esforço maior do que o normal para manter o corpo ereto, esclarece a ginecologista Telma. Como o uso de anti-inflamatório deve ser evitado na gestação, a acupuntura é uma boa opção para reduzir este incômodo, pois tem efeito analgésico e libera substâncias como a endorfina, afirma Alexandre Massao Yoshizumi, acupunturista e vice-presidente do Colégio Médico de Acupuntura de São Paulo.

DIMINUI O INCHAÇO

Durante a gravidez, as alterações hormonais provocam o acúmulo de líquidos entre os tecidos do corpo. É comum que gestantes apresentem inchaços nas pernas, nas mãos e até no rosto. “A acupuntura aumenta a eliminação desses líquidos em excesso através do estímulo da função renal. Normalmente, a gestante conta que passou a urinar muito mais após o tratamento”, explica Alexandre.

MELHORA A ANSIEDADE

A produção de alguns hormônios contribui para a grávida ficar mais sensível e emotiva. Ao agir em neurotransmissores como a serotonina, a acupuntura traz um equilíbrio emocional reduzindo a ansiedade e a irritação. “Durante a sessão, que pode durar de 30 minutos a uma hora, a mulher consegue relaxar e se sente muito mais calma”, relata o médico acupunturista Alexandre.

REDUZ A CONSTIPAÇÃO

O processo digestivo da gestante fica mais lento por causa da diminuição dos movimentos peristálticos. Segundo o professor João Bosco, com o uso da técnica da medicina chinesa, os movimentos intestinais tendem a ficar normais, melhorando o quadro de prisão de ventre bastante comum nas grávidas. “As agulhas são colocadas principalmente nos braços e pernas, raramente no abdômen”, afirma.

AJUDA O TRABALHO DE PARTO

A técnica da Medicina Tradicional Chinesa também pode ser benéfica na hora do parto. “A acupuntura pode estimular as contrações uterinas no período de indução, quando o trabalho de parto está para começar”, diz o acupunturista João Bosco.

“O trabalho de parto é um fenômeno fisiológico e, no geral, as mulheres têm a capacidade de lidar com a dor. No entanto, quando o processo se torna muito difícil para a gestante e é necessária uma intervenção, a acupuntura pode ser utilizada”, explica Roxana Knobel, médica acupunturista, obstetra e professora do curso de medicina da Universidade Federal de Santa Catarina.

Durante o trabalho de parto, as dores ocorrem de forma mais forte e intensa na região sacral e lombar. “Nesses casos, o estímulo com agulhas é feito no osso sacro e o efeito é imediato”, diz Roxana, que alerta: “Por se tratar de uma dor progressiva, a dor do parto não vai passar completamente, vai apenas aliviar com a acupuntura”.

images (2)

EXISTE ALGUMA CONTRAINDICAÇÃO?

Não há contraindicação da acupuntura na gravidez, no entanto, a técnica pode ter efeitos colaterais, como a formação de hematomas no local em que as agulhas foram colocadas, explica Alexandre, vice-presidente do Colégio Médico de Acupuntura de São Paulo.

“A aplicação das agulhas provoca uma dor mínima e a gestante pode ter queda de pressão ou tontura devido à ansiedade, quando ela não conhece a prática. É muito importante a escolha de um bom profissional”, alerta João Bosco, professor adjunto da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto.

https://estilo.uol.com.br/gravidez-e-filhos/noticias/redacao/2017/07/11/acupuntura-na-gestacao-diminui-dor-nas-costas-inchaco-e-ansiedade.htm

Leia mais

Respiração Diafragmática

Quando usar a respiração diafragmática?

A técnica é bastante utilizada em pacientes com queixas dos mais diversos transtornos de ansiedade, principalmente em quadros onde há a ocorrência de ataques de pânico. Quando a pessoa fica muito ansiosa (por questões realistas ou por interpretações distorcidas), o cérebro – mais especificamente o sistema nervoso autônomo simpático – dispara adrenalina e noradrenalina no sangue. Com isso, a pessoa experimenta sintomas físicos, tais como palpitações, sensação de falta de ar, tremores, sudorese, boca seca, tensão muscular e tonturas, entre outros. Além disso, há também sintomas cognitivos, como medo de morrer, de enlouquecer, ter um ataque cardíaco ou perder o controle. Quanto mais forte a ativação dos sintomas, maior o pavor – e este sentimento, por sua vez, mantém ativado o sistema simpático, de forma que o organismo demora mais tempo para restaurar o estado de relaxamento.

Os sintomas físicos da ansiedade atuam como uma reação em cadeia, mais ou menos assim: O indivíduo reconhece o perigo (real ou não), logo o cérebro o prepara para lutar ou fugir. Para conseguir realizar essa ação, o metabolismo precisa estar acelerado. Com isso, a frequência cardíaca aumenta, a fim de acelerar a circulação. Para dar conta dessa aceleração, mais oxigênio é necessário – logo, há uma alteração na respiração, podendo causar uma hiperventilação ou a sensação de falta de ar. O sangue, que estava distribuído por todo o corpo, passa a concentrar-se nos músculos maiores, usados para movimentos de luta ou corrida (daí a tensão muscular e a sensação de mãos e pés frios). Além disso, a temperatura interna sobe, provocando o suor.

A respiração diafragmática ajuda a ativar o sistema autônomo parassimpático de nosso cérebro, responsável por inibir a ação do sistema simpático e restaurar a sensação de relaxamento. Por isso ela é uma técnica tão importante para os casos de ansiedade. Além disso, é um bom exercício de distração, ajudando a pessoa a se desvencilhar da hipervigilância aos sintomas físicos e cognitivos da crise.

Como é a técnica?

Após um trabalho de psicoeducação a respeito dos ataques de pânico, da psicologia e fisiologia do medo e da ansiedade e de explicar como uma técnica de respiração pode ser útil para o tratamento, o terapeuta poderá ensinar o paciente a realizar o exercício em si. Esta técnica de respiração consiste em concentrar o ar na região do diafragma (músculo que fica na altura do estômago), fazendo a barriga estufar e voltar ao normal ao puxar e soltar o ar, respectivamente. Deve ser feita lentamente, geralmente usando uma contagem até 3 para inspirar e até 6 para expirar. Para verificar se o procedimento está correto, pode-se colocar uma das mãos sobre o diafragma, para senti-lo subir e descer. Alguns terapeutas recomendam também colocar a outra mão sobre o peito, a fim de que o paciente sinta que a barriga mexe mais que a região pulmonar.

Muita gente não sabe, mas nascemos com a capacidade de respirar dessa forma naturalmente. Se observarmos a respiração de um bebê em repouso, podemos observar a barriguinha subir e descer. Porém, com o tempo assumimos uma postura predominantemente bípede, e passamos a respirar expandindo mais os pulmões que a região diafragmática. Porém, com um pouco de treino, é possível reaprender a usar esse tipo de respiração. O vídeo abaixo poderá ajudar a entender melhor esta técnica e, caso seja do seu interesse, tentar praticar um pouco.

Em psicologia, esta técnica é muito utilizada também no tratamento dos transtornos do sono, uma vez que tem esse caráter de relaxamento. Ao praticar a respiração diafragmática, a pessoa passa a observar melhor a respiração e a dar menos atenção aos demais pensamentos. Por outro lado, esta técnica não é muito recomendada para transtornos depressivos, já que esses pacientes apresentam letargia e, muitas vezes, hipersonia como sintomas do problema que os acomete.

Texto retirado do site http://www.psicologiaexplica.com.br/tecnicas-em-tcc-respiracao-diafragmatica/

Leia mais

Fibromialgia

Acupuntura ajuda a tratar dor na fibromialgia

Pessoas com fibromialgia sofrem com dor em todo o corpo, de forma crônica, além de outros sintomas, como cansaço e rigidez muscular. Não há cura para essa síndrome, mas há tratamentos (com ou sem medicamentos) que podem diminuir a dor e melhorar a qualidade de vida. A Cochrane fez uma revisão de estudos clínicos que compararam a acupuntura ou a eletroacupuntura a outros tratamentos da fibromialgia. A acupuntura é uma modalidade da medicina chinesa que utiliza agulhas finas para estimular certos pontos do corpo, reduzindo a inflamação, estimulando a liberação dos analgésicos do próprio organismo, as endorfinas, e acalmando o cérebro.

Ver mais em http://www.cochrane.org/pt/CD007070/acupuntura-para-fibromialgia

Leia mais
remedios

BENZODIAZEPÍNICOS

Medicações que induzem e mantém o sono muitas vezes são necessárias, mas devem ser usadas por curto período de tempo, no máximo um ou dois meses. Benzodiazepínicos como diazepam, clonazepan, alprazolam, bromazepam, a longo prazo geram dependência química, além de aumentarem chances de quedas, fraturas, demência. Se você for uma pessoa que faz uso crônico destas medicações não deverá interromper este uso de forma abrupta pois certamente terá dificuldades podendo apresentar alguns efeitos “rebote”. Neste caso é importante conversar e procurar o seu médico.

Insônia e outros  distúrbios do sono na imensa maioria das vezes aparecem como consequência de algum outro problema de saúde, hábitos ou estilo de vida.

Leia mais

INSÔNIA

Se você deita para dormir e não consegue, acorda muitas vezes a noite, acorda e não consegue ou demora a voltar a dormir ou ainda tem a sensação de que suas horas de sono não foram reparadoras, você provavelmente sofre do que chamamos de Insônia.

Os sintomas da privação de sono principais são cansaço ou sonolência durante o dia, mau-humor, irritabilidade, dores de cabeça. A longo prazo surgem distúrbios de memória, concentração e ansiedade, depressão, baixo rendimento profissional, aumento de acidentes e envelhecimento precoce.

Insônia e outros distúrbios do sono na imensa maioria das vezes aparecem como consequência de algum outro problema de saúde, hábitos ou estilo de vida.

Você pode experimentar algumas mudanças de hábitos para tentar reverter sua dificuldade em dormir bem ou melhorar a qualidade do seu sono. A isto damos o nome de “Higiene do sono”.

 

 

MEDIDAS DE HIGIENE DO SONO

  1. Limitar o consumo de cafeína (presente no café, alguns tipos de chás, refrigerantes tipo cola, chocolate). Outros medicamentos ou substâncias que podem causar insônia: álcool, agentes antiarrítmicos, cafeína, metisergida, descongestionates nasais, nicotina, termogênicos, escopolamina, alguns anti-hipertensivos, esteroides, estimulantes, hormônios tireoideanos, derivados da xantina.
  2. Realizar exercício físico regular, porém evitá-los à noite.
  3. Estabelecer uma rotina para o horário de dormir e despertar, mesmo nos finais de semana.
  4. Fazer atividades relaxantes e prazerosas antes de ir para cama.
  5. Evitar filmes violentos ou noticiários antes de dormir (de preferência evite colocar aparelhos de televisão no quarto).
  6. Utilizar técnicas de relaxamento – respiração abdominal, meditação, massagear couro cabeludo, contrair e relaxar todos os músculos do corpo.
  7. Tomar banho morno;
  8. Tomar leite morno, ou chás sedativos como mulungu, camomila, erva-doce, erva-cidreira (em pouca quantidade).
  9. Evitar líquidos após as 20h. Caso tenha sede após este horário, realizar bochechos e engolir pouca quantidade de líquidos, para evitar despertares noturnos para urinar;
  10. Alimente-se bem. Não deitar com fome ou estômago vazio. Ter uma dieta neutra e balanceada ao longo do dia, fazer uma refeição leve e pobre em gorduras à noite. Excluir ou tratar doença do refluxo gastro-esofágico, caso a tenha.
  11. Assegurar temperatura agradável e ausência de claridade no quarto;
  12. Assegurar o silêncio no ambiente (se necessário utilizar protetores de ouvido);
  13. Escolher um bom colchão, adequado para seu peso e altura (lembre-se, você passa 1/3 de sua vida em cima dele! Além disso, sua coluna agradecerá!)
  14. Reservar a cama apenas para dormir e para relações íntimas (atividade sexual com prazer, caso tenha parceir@ e vontade – pode ser muito relaxante);
  15. Evitar ler, ver TV, trabalhar ou discutir no quarto.
  16. Tenha um caderno e caneta na cabeceira da cama, para anotar / listar todo e qualquer tipo de preocupação que lhe acometa enquanto estiver deitad@;
  17. Levantar caso não consiga dormir após 20 minutos deitad@. Ficar acordad@ pode aumentar a ansiedade, a irritação e por consequência a insônia. Você pode realizar uma atividade tranquila e retornar para a cama quando estiver sonolent@.

 

Caso você persista com sintomas de insônia mesmo após manejar todas as questões sugeridas, você provavelmente precisa de ajuda, procure seu médico!

Leia mais

VAMOS FALAR SOBRE O SONO?

Quantas horas você dorme por noite? Você deita e dorme? Acorda quantas vezes a noite? Acorda por quê? Depois de acordar, quanto tempo leva para voltar a dormir? Sente-se cansado ou sonolento durante o dia? Tem o sono muito leve, ronca ou tem apnéia do sono?

Você deve descansar cerca de 1/3 da sua vida. Dormir é fundamental para restabelecer funções vitais, fisiológicas e mentais. É tão fundamental quanto comer, tomar água, respirar.

Você não dorme porque não quer ou porque não consegue? Se não dorme porque não quer, ou por que acredita não ser importante, precisa rever seus conceitos.

A sua vida, o seu trabalho, o seu esforço deve ser no sentido de ser feliz hoje, apreciar suas rotinas, dormir hoje, viver no presente, observar seu corpo. Cuidar-se.  Se você não tem tempo de cuidar hoje de sua saúde, pagará caro e gastará muito tempo para cuidar de suas doenças e sequelas no futuro. Não há mistério ou magia, você só colherá frutos das sementes que plantou e você mesmo cultivou, ninguém poderá fazê-lo por você.

Se você não dorme porque não consegue, deve rever alguns hábitos de vida e se necessário, pedir ajuda.

Medicações que induzem e mantém o sono muitas vezes são necessárias, mas devem ser usadas por curto período de tempo, no máximo um ou dois meses. Benzodiazepínicos como diazepam, clonazepan, alprazolam, bromazepam, a longo prazo geram dependência química, além de aumentarem chances de quedas, fraturas, demência. Se você for uma pessoa que faz uso crônico destas medicações não deverá interromper este uso de forma abrupta pois certamente terá dificuldades podendo apresentar alguns efeitos “rebote”. Neste caso é importante conversar e procurar o seu médico.

Insônia e outros  distúrbios do sono na imensa maioria das vezes aparecem como consequência de algum outro problema de saúde, hábitos ou estilo de vida. Em nosso próximo artigo, sobre insônia, descreveremos alguns hábitos que você pode modificar para tentar melhorar a qualidade de seu sono! Confira!

Leia mais