+55 (48) 3648 2087 ou 98415 1710 clinicasementecristal@gmail.com

Atendo todos os dias alguém dizendo que sofre de enxaqueca. Será ? Descubra no vídeo de hoje se você realmente sofre de enxaqueca ou de algum outro tipo de dor de cabeça.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a enxaqueca ocupa o sexto lugar como a doença mais incapacitante no mundo. Enquanto metade da população tem algum tipo de dor de cabeça pelo menos 1x por ano, apenas 10-15% da população sofre realmente da dor de cabeça chamada de enxaqueca, e a maioria destas pessoas são mulheres entre 18 e 44 anos de idade.

A enxaqueca pode durar de 4 horas até 3 dias. E possui algumas características que a torna especial:

  • Dor em único lado da cabeça;
  • Dor latejante;
  • Dor que apresenta pioras quando o paciente se movimenta;
  • Dor que está entre moderada e intensa (de 5 a 10 numa escala de dor).

 

Além disso, é necessário apresentar também um dos sintomas abaixo:

  • Náusea;
  • Muita sensibilidade à luz ou ao barulho.

A chamada aura da enxaqueca pode se manifestar como pontos luminosos, visão em túnel/ foco, distúrbios de imagem, distúrbios sensoriais.

Possui uma ligação direta com o estômago, que não funciona muito bem durante as crises (paresia gástrica), manifestando náusea e vômitos associados.

Algumas pessoas manifestam sintomas premonitórios como muita sonolência, bocejos repetidos, mal-estar, cervicalgia, cansasso… ou as vezes euforia.

As causas da enxaqueca ainda não foram completamente desvendadas pela ciência. Sabe-se que ocorre um desequilíbrio bioquímico em certas localidades do cérebro, envolvendo substâncias chamadas neurotransmissores, neuropeptídeos e também hormônios.

É muito comum que as pessoas correlacionem o início das suas crises a algum fator gatilho, ou seja, que a partir dele é a enxaqueca é desencadeada. Gatilhos não são a causa, pois irão desencadear as crises apenas em quem já possui a doença.

Entre os gatilhos estão a falta de sono, uso de óculos com grau incorreto, estresse, exposição a ruídos altos ou adereços apertados na cabeça, má-postura, exposição prolongada a luz azul ( computadores e smartphones) jejum prolongado, certos alimentos, consumo de açúcar, chocolate, queijos fortes, embutidos, café e bebidas alcoólicas em excesso, fumo, alterações hormonais, perfumes, dentre outros.

É necessário algum exame para fazer o diagnóstico? Não. Exames são solicitados apenas quando o médico suspeita que a dor pode ter uma causa secundária, ou seja, que a dor venha de algum outro problema de saúde.

Me conte aí, como é a sua dor? Você tem aura? Como ela é? Possui gatilhos? Consegue prever que a enxaqueca está chegando?

No próximo post falarei sobre o tratamento e formas de controlar a enxaqueca. Não deixe de ler!

 

Dra Tainá Calvette, Médica da Dor, Acupunturiatra